quarta-feira, 20 de maio de 2015

Nas entranhas

Perguntou para aquilo que a chamava lá dentro. Bem dentro, no fundo. "Cadê o pitoco que desfaz essa angústia?". Claro, não obteve resposta. Era cedo demais para uma manifestação mais racional. Insistiu em saber, mas não saiu do lugar. Das entranhas continuava a ouvir uns instantes vazios. Queria mesmo era apagar tudo o que se confundia por dentro. "Cadê esse pitoco, oras? Cadê?". Já ia tarde e ela não percebeu que mesmo no fundo, bem no fundo, o máximo que poderia conseguir era um assobio além do nada. Desistiu. E foi desistindo até que encontrou um lugar, um pouco mais à esquerda do dentro do fundo. Parou e sentiu um pouco de tudo, um muito de nada e a certeza de um talvez. Mas sentiu. E ficou por aí. Só lembrou de voltar quando o fundo nem era mais tão fundo, só uma superfície leve. Tão leve que já podia sonhar.

Nenhum comentário: