segunda-feira, 10 de novembro de 2014

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Tempo

Tempo de passo torto.

Desvia a saudade pra rumo errado.
Aguça no peito lembranças, amores. 
Tempo de riso solto. 
Afaga a mente, acolhe esperança.
Tempo de palavra em fogo
Queima aqui dentro, joga distante lembranças.
Chora sem temor, alarga o riso lá fora.
Tempo de tempo errado. 
Vem de sonhos, vem sem demora. 

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Saudade, bicho perigoso.

Saudade é bicho perigoso. Pega o tempo e dá um nó.
Aperta o coração e faz um rebuliço tremendo.
Toma conta dos sonhos, doa dia, do vento. 
Saudade não tem tamanho, nem medida, só conserto.
Atormenta a mente, maltrata o peito.
Mas assossega nos desejos, no vazio do silencio.
Saudade só tem perigo porque se alimenta do tempo