segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Adeus.


É o mar. Ele é quem quebra na beira da praia. Lembra até o balanço da rede cheia de abraços.


Quando você resolver partir, leva contigo o barulho das ondas, nele vai minha saudade também. 
E aqueles abraços. Misturaram-se às espumas do mar, não esquece deles na tua partida.
Vai pela praia. É a partir dela que tua despedida vai ter fim. Vai sentir o vento de longe. Vai conhecer um novo horizonte, bem longe. Lembra de agarrar o oceano. É nele que a minha saudade vai estar. Deixa as marcas na beira da praia, deixa teu pensamento lá. É ele o balanço que vou procurar.
Só não esquece de não voltar.


Adeus.

9 comentários:

Flavitcho disse...

é isso!
vá e não volte.
melhor assim.

Atorein.

:D

:*

Poliana disse...

QUE poééético meleca!


Ficou lindo, muito bom!


parabens

Sabiá disse...

Caraca...

Lerei esse poema pro mar durante as férias... que fique escrito aqui!!!

=)

ulisses disse...

Méle,

Achei excepcional. Muito lega! Parabéns! Tem umas imagens bem legais, como "braços e abraços no balanço da rede.
Precisamos ver como desenvolver esta sua "veia" literária

Beijos: Papai

C. disse...

que bonito, méle.
gostei do não voltar, achei muito digno.
xêro em tu.
=**

Biagio Pecorelli disse...

é vertical, descendo... li como se fossem versos. E tem som, feito fim de tarde.

bonito.

Poly Jones disse...

eu sei que tudo isso é saudade de mim, mas eu volto!
hehe
b-jaum

Diego Firmino disse...

oi td bem, vi que vc é a única seguidorado blog O Frevo, tomo conta aos trancos e barrancos hehe. Li alguns posts seus, vc escreve tão bem, gostei muito.

se quiser manter contato meu msn é esse: diegofirmino@hotmail.com

parabens!

Julia disse...

Lindo, Méle, parabéns.