terça-feira, 6 de outubro de 2009

Termine essa história

Inicio por Raimundo Carrero, final por Méle Dornelas.
" Entraram no botequim para um café. Inimigos, não se falavam desde a infância. Sentavam-se ali todas as tardes e ficavam horas em silêncio. Um servia café ao outro, mesmo correndo perigo. Desconfiavam de uma dose fatal de veneno. Mas não compreendiam a vida sem esse risco...“
(Raimundo)
...Tudo girava em torno desse secreto mundo paralelo. Os olhares pesados não vinham sempre só deles. Seus diálogos mudos eram sempre barulhentos. Josué era assim. Inventou esse inimigo imaginário para acabar morto, envenenado por ele mesmo.
(Méle)

6 comentários:

Gabriel disse...

pobre Josué...=p

Victor disse...

Você tem que escrever um livro ainda.

Marcelo disse...

eita simpatia... ficou massa visse ?
tu escuta Raimundo na CBN é ?

Ivanildo disse...

Gostei, rssssssssssssss

Tens algum livro publicado?

Álvaro Albuquerque disse...

Adorei esse!
Ótimo desfecho...

volto a repetir: escreva um livro! =P

Beijos

Méle Dornelas disse...

Ivanildo, sem livros publicados por enquanto! Um dia, quem sabe? :)